São Sebastião

Turistas desrespeitam bloqueios em São Sebastião no primeiro fim de semana de megaferiado em SP

Turistas desrespeitam bloqueios em São Sebastião no primeiro fim de semana de megaferiado em SP
Foto: Divulgação

Apesar dos bloqueios criados por algumas prefeituras e da proibição do uso das praias durante a fase emergencial do Plano São Paulo, o primeiro final de semana de megaferiado da capital paulista provocou aumento de turistas nas cidades do Litoral Norte. Mesmo proibidos, os veranistas aproveitaram os dias de sol para praticar atividades físicas nas orlas da praia e até mesmo furar os bloqueios impostos pelas prefeituras da região na tentativa de conter o avanço da covid-19.

Em São Sebastião, diversas barreiras colocadas nas entradas das praias do município foram destruídas por vândalos. As barreiras foram dispostas de tal maneira que foi deixado um único acesso em cada praia, fechando os demais com tapumes. A entrada era destinada apenas para quem quisesse fazer atividade física individual. As forças de segurança estão analisando as câmeras de vigilâncias dispostas em pontos estratégicos da cidade para identificar os infratores.

Turistas desrespeitam bloqueios em São Sebastião no primeiro fim de semana de megaferiado em SP

Objetivo é impedir que pessoas contaminadas com a doença entrem na cidade e diminuir, assim, a transmissão do coronavírus | Foto: Prefeitura de São Sebastião

Após registrar filas de veículos na barreira sanitária iniciada na sexta-feira e suspender a operação no sábado a pedido da Polícia Rodoviária, o município decidiu retomar a fiscalização neste domingo (28) na Costa Sul do município.

Turistas desrespeitam bloqueios em São Sebastião no primeiro fim de semana de megaferiado em SP

Turistas furam bloqueio para ir à praia em São Sebastião | Foto: Divulgação

O objetivo é impedir que pessoas contaminadas com a doença entrem na cidade e diminuir, assim, a transmissão do coronavírus. Na ação, os veículos com placas de outras cidades são abordados e todos os passageiros são orientados quanto à pandemia, respondem a um questionário para controle epidemiológico, têm a temperatura corporal aferida e fazem um teste rápido para detectar a Covid-19.

Faz parte do bloqueio também a desinfecção dos pneus com uma solução à base de hipoclorito de sódio, produto químico que combate a estrutura molecular do coronavírus.

Moradores da cidade protestaram contra a chegada de turistas em um momento que os hospitais dos municípios estão saturados. No final da tarde de sexta-feira (26) um homem fantasiado de “morte” cumprimentou os motoristas na Rodovia Rio-Santos. O homem estava vestido todo de preto e com uma cruz na mão. A ação ocorreu no limite entre as cidades de São Sebastião e Bertioga, no bairro Boracéia.

Já em Ubatuba, cerca de 250 pessoas usaram pneus queimados na madrugada de sábado (27) para criar um bloqueio para evitar a passagem de veículos oriundos de outras regiões. Segundo a Polícia Rodoviária, a ação aconteceu no quilômetro 93 da rodovia Oswaldo Cruz, próximo ao bairro Marafunda.

O bloqueio durou cerca de duas horas e ninguém foi detido. Apesar da tentativa, os motoristas conseguiram desviar dos pneus queimados e seguir o trajeto.

A Baixada Santista segue em lockdown até o dia 4 de abril. As cidades do litoral norte (São Sebastião, Ilhabela, Caraguatatuba e Ubatuba) não fazem parte do lockdown, mas montaram barreiras sanitárias e medidas mais restritivas para tentar evitar a entrada de turistas no megaferiado em São Paulo.

Processo

A prefeitura de São Sebastião quer processar aqueles que derrubarem as barreiras instaladas para impedir o acesso a praias no município. A medida deve ser tomada em momento em que se pede para que turistas não frequentem a cidade litorânea, em função do agravamento da pandemia. A informação foi apresentada pelo prefeito Felipe Augusto (PSDB), em entrevista para a CNN.

Segundo o prefeito, o município está atuando para identificar os responsáveis pelo desmonte e deve abrir processos por danos ao patrimônio público.

“Toda e qualquer retirada de barreiras pelo particular significa dano ao patrimônio público. Através de imagens, já estamos registrando boletins de ocorrência contra essas pessoas e estamos, obviamente, localizando essas pessoas”, afirmou. “Derrubou a barreira, nós vamos recompor. Mas está virando verdadeiro cabo de guerra”, continuou.

Segundo o prefeito, além dos veranistas que possuem casas no município, turistas de um dia teriam derrubado as barreiras e criado situações “completamente irregulares e constrangedoras para esse momento”. Atualmente, a cidade soma todos os leitos ocupados.

“Os moradores estão auxiliando com denúncias. O camarada entrou na praia e montou o guarda-sol, começa a chover denúncias”, destacou.

Qual sua reação?

Animado
0
Feliz
0
Apaixonado
0
Incerto
0
Bobo
0

Você pode gostar

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *