Ilhabela

Ilhabela exige teste negativo de Covid-19 de visitantes; bares e restaurantes estão liberados

Ilhabela exige teste negativo de Covid-19 de visitantes; bares e restaurantes estão liberados
Controle de acesso é feito bolsão de embarque da travessia - Foto: PMI

A Prefeitura de Ilhabela vai exigir teste negativo de Covid-19 para turistas entrarem na cidade a partir desta sexta (9). A medida acontece na mesma semana em que o arquipélago flexibilizou a quarentena, com a reabertura de bares e restaurantes.

O controle no acesso será realizado de sexta a domingo na balsa. Para visitar Ilhabela, o turista deverá apresentar teste negativo para Covid-19 do tipo RT-PCR com no máximo 48 horas antes do embarque para a ilha.

Ficam fora da obrigação: os moradores de Ilhabela, prestadores de serviços essenciais (que comprovem que estão atuando na função) e pessoas que receberam a segunda dose da vacina.

A gestão defende que a medida é para o controle no acesso e justifica que a cidade tem condições de flexibilizar as regras da quarentena. A flexibilização contraria a fase emergencial do Plano São Paulo, em vigor em todo Estado para frear a Covid.

“Estamos com a situação controla de transmissão de Covid. A situação de Ilhabela é tranquila, mas não podemos deixar a cidade receber aleatoriamente muita gente porque podem vir pessoas contaminadas com Covid”, afirma o prefeito Toninho Colucci.

O controle no acesso à Ilhabela já havia sido adotado durante o período de feriados antecipados na capital paulista, entre o fim de março e início de abril. No período, 681 pessoas apresentaram o teste e puderam acessar a ilha. Outras 43 delas não apresentaram e tiveram que retornar às suas cidades.

Flexibilização

Na última quarta-feira (7), a Prefeitura de Ilhabela publicou um decreto no qual libera o funcionamento de bares e restaurantes com capacidade reduzida no município.

De acordo com o texto, os bares e restaurantes da cidade agora podem funcionar limitados a 35% da capacidade e com uma distância de 1,5 metros entre cada mesa.

O documento ainda estipula que os clientes só poderão frequentar os estabelecimentos com agendamento prévio e respeitando os protocolos sanitários estipulados pelo Plano SP, como a utilização de máscaras, por exemplo.

Não foi estipulado no decreto um limite de horário de funcionamento para os restaurantes, mas a venda de bebidas alcoólicas fica proibida das 20h às 6h. Já os bares e quiosques, podem funcionar com sistema take away (retiradas) até às 20hs e delivery até 00h, com entrega de bebidas alcoólicas também proibida após às 20h.

Ainda no decreto, a prefeitura liberou o funcionamento de salões de cabeleireiros e barbearias, áreas comuns em hoteis, e lojas de construção que também devem seguir o limite de 35% de sua capacidade total. Todas elas estão proibidas pela fase emergencial do Plano SP.

O Governo de São Paulo informou que “as Prefeituras que descumprem o Plano São Paulo são notificadas pelo Governo do Estado, que também informa o Ministério Público para a tomada de providências”.

Qual sua reação?

Animado
0
Feliz
0
Apaixonado
0
Incerto
0
Bobo
0

Você pode gostar

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *